Verão chega trazendo alerta contra câncer de pele


Câncer de pele é resultado da exposição solar ao longo dos anos. No anode 2016 são estimados 175 mil novos casos

 

Coma chegada do verão, época das altas temperaturas e aumento dos raios ultravioletas, aumenta também a preocupação contra o câncer de pele, neoplasia mais incidente no Brasil e no mundo e que corresponde a 25% dos tumores. É chegada também a hora de conscientizar a população da importância de se prevenir contra osraios solares que provocam o câncer de pele. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), são estimados 175 mil novos casos de câncer de pele no Brasil em 2016.

 

A radiação solar é cumulativa ao longo da vida e o câncer de pele é resultado da exposição do indivíduo ao longo de anos, explica o oncologista e diretor clínico do Oncologia, Sandro Lana. O oncologista explica que o câncer de pele é definido pelo crescimento anormal e descontroladodas células que compõem a pele. “Qualquer célula que compõe apele pode originar um câncer, logo existem diversos tipos de câncer de pele. A neoplasia pode ser dividida em câncer de pele nãomelanoma e câncer de pele melanoma. Dentre os cânceres não melanoma, há o carcinoma basocelular (CBC) que é o mais frequente e menos agressivo e o carcinoma espinocelular ou epidermoide (CEC) mais agressivo e de crescimento mais rápido”, diz.

 

“O melanoma cutâneo, mais perigoso dos tumores de pele, tem a capacidade de invadir qualquer órgão e espalhar pelo corpo. Apesar de ter incidência bem inferior aos outros tipos de câncer de pele,ele está aumentando no mundo inteiro”, comenta o oncologista.

 

Pequenas manchas avermelhadas ou acastanhadas de crescimento lento. Pintas que mudam de cor ou de formato. Feridas que não cicatrizam. “Esses sintomas, que à primeira vista parecem ter pouca gravidade, são, na verdade, os principais sinais do surgimento da doença na pele,considerado o maior órgão do corpo humano. Muitas pessoas minimizam a importância desses sintomas, o que atrasa o diagnóstico e deixa o paciente mais distante da cura”, diz Sandro Lana.

 

Em 90% dos casos, a doença é provocada, basicamente, pela exposição excessiva ao sol. “Pessoas com história familiar da doença, de pele e olhos claros, cabelos loiros ou ruivos, albinas, as que se expõem a agentes químicos excessivamente e têm muitas pintas constituem a população de maior risco para desenvolver a doença.No entanto, existem outras causas menos divulgadas como viroses,alterações genéticas, infecções e contato prolongado com o agente químico arsênico”, comenta Sandro Lana.

 

Segundo o diretor do , os tumores de pele podem se manifestar em partes variadas do corpo, porém são mais frequentes no rosto, braços,nuca e costas, que são as áreas comumente mais expostas à radiação solar. A melhor proteção contra estes raios é a barreira física.Chapéus, bonés e roupas ajudam a driblar a ação deles na pele. Os olhos também sofrem com os raios solares e precisam de proteção,por isso é importante investir em um modelo que possua fator de proteção solar. O uso de protetores solares apropriados ao tipo de pele do individuo é fundamental. O protetor deve ser usado em todas as partes do corpo expostas ao sol, sendo reaplicado a cada 3 horas.

 

“Neste período de férias escolares, por exemplo, onde a população costuma viajar para praia, cachoeiras, ou se expor no sol em clubes e em atividades físicas é imprescindível ficar em alerta e tomar medidas preventivas”. E acrescenta. “Não confie apenas no protetor solar. Também deve ser evitada a exposição solar entre 10 e 16h (horário de verão). É importante salientar que no verão, as altas temperaturas são mais propícias ao câncer de pele, mas a radiação ultravioleta exerce seu efeito por todo oano. Por isso, a prevenção do câncer de pele deve ser uma constante em nossas vidas, seja na praia, no campo ou nas cidades e em todas as estações do ano”, conclui .

06-01-2016 - Internet - JorNow ( Notícia ) - SP

 

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email