O Preconceito que Mata – Novembro Azul


Dr Bruno Muzzi Carneiro, Oncologista do Cetus Oncologia

O câncer de próstata é o tumor mais frequente em homens e o segundo que mais mata no Brasil. Essa realidade poderia ser mais otimista se não fosse o preconceito ainda muito forte na população masculina para realização do exame de toque retal. Segundo pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia, apenas 32% dos homens declararam ter feito o procedimento. Por ano, são diagnosticados 69 mil casos e 13 mil mortes em decorrência da doença, o equivalente a uma morte a cada 40 minutos.

Para sensibilizar os homens a eliminar aos poucos esse preconceito que mata, o “Novembro Azul” foi designado como mês da conscientização pela vida dos homens e incentiva a realização do exame de sangue PSA e do toque retal (que não dói e dura cerca de 15 segundos). É recomendável que homens a partir dos 50 anos realizem os procedimentos para rastreamento a cada 1 a 2 anos. Quando a doença é detectada precocemente, a chance de cura aumenta em 80%.

Além da idade, existem outros fatores de risco associados ao câncer de próstata, como história familiar, raça e obesidade. Homens com parente de primeiro grau – pai ou irmão – acometido apresentam risco duas vezes maior, podendo quintuplicar quando há dois familiares de primeiro grau com esse tumor. Nesse caso, é recomendado antecipar os exames para rastreamento a partir dos 40 a 45 anos, conforme o risco. Pacientes da raça negra podem apresentar tumores mais agressivos.

Dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos, cereais integrais e pouca gordura reduz o risco de câncer. Hábitos saudáveis como atividade física, manter o peso adequado, reduzir o consumo de álcool e não fumar também ajudam a prevenir o câncer de próstata.

Localizada abaixo da bexiga, à frente do reto e envolvendo a uretra (canal por onde passa a urina), a próstata é a glândula responsável pela fabricação do líquido seminal. Existem diversos tipos de câncer de próstata e alguns não manifestam sintomas. Entretanto, quando presentes, esses sinais não são específicos do câncer, como aumento da frequência, diminuição do jato, sangramento e ardência na urina. O câncer também pode disseminar para os ossos e provocar dores.

O tratamento do câncer de próstata depende da idade, expectativa de vida, estadiamento da doença e escolhas do paciente. A quebra de tabus e do preconceito é fundamental para a detecção precoce do câncer e garantir a cura. Para isso, campanhas como o Novembro Azul são importantes para promover a saúde do homem.

09-11-2015 O Tempo - O preconceito que mata - Novembro Azul

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email